Quais São Os Profissionais Em Falta No Mercado?

Mesmo em plena crise que o país vem enfrentando e com um cenário de grande desemprego, tem sido difícil encontrar profissionais com perfil específico. Nos últimos anos, muitos postos de trabalho ficam em aberto por não se formarem profissionais suficientes para preenchê-los.

Entre os motivos mais citados para a dificuldade de contratar, estão a falta de profissionais interessados, a falta de competências técnicas, a ausência de experiência, a falta de habilidades comportamentais e, por fim, pretensões salariais mais altas por parte dos que são capacitados.

Entre as muitas vagas que ficam em aberto, os profissionais da área técnica são os mais raros. Os setores de engenharia e TI também são muito buscados. A demanda nessas áreas não é apenas no Brasil, tem sido em diversos países do mundo todo.

Na engenharia a procura é por profissionais especializados na área mecânica, elétrica e civil.

Os profissionais de TI mais demandados são os desenvolvedores, programadores, administradores de bancos de dados e gestores, de acordo com o levantamento.

A escassez se dá tanto na quantidade de profissionais como na qualidade deles, no caso de vagas que exigem conhecimentos específicos, e atinge cargos de nível superior e técnico. Para quem está em busca de uma carreira profissional e ainda não sabe qual decisão tomar, veja uma seleção de quais profissionais estão em falta no mercado de trabalho:

 

1- Engenheiros – Os engenheiros estão entre uma das categorias de profissionais com maior escassez no planeta. No Brasil, embora tenha aumentado o número de formações acadêmicas na área, o número também é considerado insuficiente para atender a demanda, o que torna seu passe ainda mais valorizado.

2- Profissionais de TI – Segundo pesquisas, esta é outra área carente de profissionais especializados. Neste sentido, gestores de TI, programadores, desenvolvedores e administradores de bancos de dados são funções amplamente valorizadas e em falta no mercado mundial.

3- Contadores – Os profissionais de contabilidade, no Brasil, também ainda estão em falta e são bastante procurados por empresas e pessoas físicas que precisam de orientações e dos seus serviços contábeis.

4-  Engenheiro de Vendas/Técnico – Vendedores técnicos que acompanham a rotina comercial das empresas de maneira consultiva, auxiliando o cliente nas especificações técnicas de peças, maquinários, insumos e equipamentos. As empresas que possuem maior demanda deste tipo de profissional são as multinacionais.

5- Analista fiscal – Esse profissional é responsável pelas rotinas fiscais da empresa. A dificuldade de encontrar ainda é maior pela falta de domínio em uma segunda língua, principalmente o inglês.

6-   Técnicos – Mesmo tendo aumentado o número de escolas técnicas, em nosso país, ainda é baixo o número de profissionais disponíveis no mercado. O trabalhador que tem algum curso nas áreas de laboratório, escritório, raios-X, enfermagem, edificações, meio ambiente, por exemplo, estão com grande oportunidade de conquistar um excelente emprego.

7-  Motoristas – Especialmente caminhoneiros do setor de transportes, a demanda é bastante alta em nosso país devido à necessidade de escoamento produtos, bens e matérias-primas por meio de rodovias.

8- Trabalhadores de ofício manual – Entram nessa categoria, trabalhadores com uma habilidade específica ou autônomos especializados em um ofício. Os mais procurados são as costureiras, passadeiras, sapateiros, eletricistas, pintores, encanadores e pedreiros. A escassez no Brasil segue uma tendência global, já que na média mundial a falta de profissionais nessa área é a primeira do ranking. O que fazer? Como para muitas dessas profissões não são necessários cursos técnicos, de dois anos, basta apenas um treinamento.

9-  Operadores de produção – O problema é semelhante ao caso dos profissionais de ofício manual, mas esses funcionários têm atuação mais técnica e trabalham na indústria. De acordo com especialistas, o crescimento da demanda não acompanhou o ritmo de formação e treinamento desses trabalhadores. Segundo especialistas, são necessários cursos mais conectados com a necessidade das empresas.

10- Mecânico – A profissão vive um cenário que mescla a situação do setor de ofícios manuais e a de motoristas, com profissionais com uma habilidade específica, mas que precisa se atualizar. A resolução desse problema passa por mais treinamentos específicos e cursos de atualização, especialmente os ligados à novas tecnologias. Também é preciso atrair jovens sem experiência para essa área.